O governo federal anunciou novas mudanças associadas sobre a “nova cesta básica” para a população brasileira. A novidade foi publicada no Diário Oficial da União e pretende ter mais garantias por meio de uma alimentação mais equilibrada e saudável. De acordo com o decreto, novos alimentos naturais farão parte do pacote básicos dos brasileiros.

Nova cesta básica é decretada

Foi publicado no Diário Oficial da União, as mudanças para a nova cesta básica brasileira que vai contar com alimentos in natura e menores quantidades de processados. Os produtos que são classificados como ultraprocessados passaram a ser proibidos no pacote. Isso tem a ver com o aumento de doenças como diabetes e hipertensão.

Ter uma alimentação mais saudável e equilibrada é essencial para a população ter uma nutrição mais adequada e gerar mais qualidade de vida. O decreto faz parte dos pacote de ações para trazer mais segurança alimentar principalmente para as pessoas mais necessitadas de baixa renda.

Os alimentos ultraprocessados são produzidos com aditivos que afetam a saúde como corantes e aromatizantes artificiais. A prioridade é focar em alimentos produzidos pela agricultura familiar que têm mais benefícios para o organismo e evitam problemas como riscos de câncer e obesidade. O ideal é buscar um alimentação mais natural e leve sempre que possível.

Leia Também:  Pensionistas tem direito de ter aposentadoria?
  • Pé-de-meia: veja mais informações do novo auxílio do governo
cesta básica
Cesta básica tem mudanças. Imagem de Pixabay.

Alimentos da nova cesta básica

A nova cesta básica vai ser organizada em diferentes grupos de alimentos com foco maior em benefícios para a saúde e ter mais sustentabilidade através da alimentação. Existe uma grande variedade de alimentos que são considerados in natura e são minimamente processados para trazer menos danos para o organismo.

Veja os alimentos que estão no pacote:

  • feijão;
  • cereais;
  • legumes, verduras e tubérculos;
  • frutas;
  • nozes e castanhas;
  • carnes e ovos;
  • leites e queijos;
  • açúcar, sal e óleo vegetal;
  • café, chá, mate e especiarias.

Essa norma é essencial para garantir que as famílias brasileiras tenham acesso a alimentos mais saudáveis por meio de políticas públicas. O esperado é que o governo publique uma portaria para mostrar os alimentos que vão fazer parte dos grupos mencionados para manter as informações mais claras.

Compartilhar.

Graduada em Publicidade e Propaganda pela Faesa, atuo como Redatora e Gestora de Tráfego. Apaixonada por entretenimento, moda, negócios e viagens.