Entre os dias 15 de março e 31 de maio de 2024, a declaração de Imposto de Renda de pessoa física precisa ser entregue no site da Receita Federal. Muitos contribuintes têm dúvidas sobre qual das duas declarações, simplificada ou completa, é a mais recomendada para fazer. É essencial que o cidadão fique de olhos em todas as informações para que não tenha problemas durante o processo.

Imposto de renda
Imposto de renda tem dois tipos de declaração. Imagem de Freepik.

Tipos de declaração do Imposto de Renda

No Imposto de Renda existem dois tipos de declaração de pessoa física para os contribuintes. A primeira é a simplificada que é voltada para as pessoas que não têm muitas despesas realizadas no último ano e pode ser usada por qualquer um, sem depender da renda total. O valor abatido do imposto vai ser de 20% em cima dos rendimentos tributáveis.

A declaração completa é mais recomendada para as pessoas que possuem gastos maiores, principalmente com educação, saúde e para os dependentes. É essencial ter todos os dados associados com todas as despesas do ano anterior e ter comprovantes guardados dos últimos cinco anos.

A Receita Federal colocou na plataforma oficial do órgão as novas regras sobre a declaração do IR. Todos os itens estão detalhados e quem é pessoa física tem que se informar para não perder o prazo de 78 dias para entregar os dados completos. Quem não manda dentro do prazo, vai ter uma multa de 20% do imposto sobre a declaração de renda devida.

Documentos para Imposto de Renda

É essencial que os contribuintes vejam quais são os documentos obrigatórios para enviar a declaração do Imposto de Renda e evitar qualquer tipo de erro durante o processo. Os documentos pessoais como CNH, identidade e dados bancários são fundamentais para iniciar o envio dos comprovantes.

Gere todos os comprovantes de renda, além de informações sobre rendimentos em bancos, distribuição de lucros e até mesmo para aposentadoria ou pensão alimentícia. Tenha os dados completos dos dependentes e envie a comprovação de pagamentos com saúde, educação e também com rendimento sobre heranças e outras fontes de renda.

Para ter a restituição com saúde e educação, a pessoa deve declarar todos os recibos e notas fiscais que foram acumuladas no período. É essencial guardar todos os documentos que comprovem a posse de bens e imóveis, como veículos e casa própria que está sendo financiada ou se já foi quitada.

Compartilhar.

Graduada em Publicidade e Propaganda pela Faesa, atuo como Redatora e Gestora de Tráfego. Apaixonada por entretenimento, moda, negócios e viagens.